A Realidade que Corrompe

 

Certa noite, o neto mais novo, Dud, muito arguto, faz uma pergunta embaraçosa.

- O Vô! Por que os aviões lançam bombas nas cidades, para destruir casas e matar pessoas? Perguntou, referindo-se ao noticiário da televisão, que acabavam de assistir.

O velho Vo percebeu que aquela pergunta era o sinal de que a criança saíra do mundo dos sonhos, da fantasia da infância. Naquele instante entendeu que mais uma vez o mundo mudara. Não era o mesmo da sua juventude...

 

O velho Vo pensa silencioso

 

"Os agentes do terror, novamente, utilizando um instrumento de comunicação, a televisão, entram nas casas, sem respeitar a privacidade das pessoas, e conseguem desviar a atenção das crianças e as conduzem para a realidade cruel.

Isso é o cúmulo do desrespeito que se generaliza na sociedade humana.

 

As situações de conflito são sufocadas pela força eventual de alguns que se auto proclamam donos do Mundo e da Vida e desenvolvem todo um processo de opressão, que começa pela ação psicológica, para inibir as pessoas, em geral, e submetê-las a uma só vontade e termina, invariavelmente, pelo aniquilamento dos recalcitrantes. E são mostradas, despudoradamente, de modo intimidativo.

T. do AMANHECER . RJ . 1994

 

Os realistas ou pragmáticos dizem que "nem só de fantasia se fazem os homens", mas não conseguem mascarar o mal que produzem.

Entretanto tudo que se faz, na Vida, tem um custo.

Os maus exemplos, indevidos e impróprios, geram outros procedimentos degenerados e essa expectativa começa a preocupar os mais sensatos.

"O feitiço vira contra o feiticeiro" é um velho ditado que parece atormentar os promotores dessas chacinas globalizadas, sob o pretexto de erradicar o "mal"...

...No viver, aprende-se muito pela imitação e quando uma cena de matança de homens, mulheres e crianças, a mando de governantes, é divulgada através de uma pequena tela, para que bilhões de outras pessoas vejam, o que se pretende?

 

CIGANA

Os hipócritas, idiotas e imbecis permanecem indagando o porquê da violência, pois ainda não perceberam que a violência institucionalizada e banalizada serve como parâmetro de comportamento social.

Mas, "nem tudo está perdido", como diz o saber popular. Em contrapartida há homens de bem".

T. do AMANHECER . RJ . 1994

 

A Dominação das Mentes

 

A televisão, esse fantástico meio de comunicação, a serviço do homem, para sua comodidade, que em 1950 chegara ao Brasil, trazendo uma receita de "paz e amor", propondo uma nova forma de entretenimento, está sendo usada, por muitos, para a dominação das mentes e a corrupção dos costumes.

 

O velho Vo, ainda perplexo, continua pensativo

 

"As cenas de destruição mostrando homens, mulheres e crianças atingidos e mortos, pelo bombardeio de comunidades da região do continente europeu, são bem elucidativas.

O grave é que, apesar de toda a crueldade explícita das reportagens, a guerra vem rotulada de benignidade: classificam os ataques aéreos da aviação multinacional, de "guerra humanitária", pois os agressores estariam combatendo "o lobo mal"; como se o mal justificasse o mal. O que também era dito pelo outro lado, em relação aos agressores.

Não é que dá certo? Até homens "intelectuais" passam a repetir essa falácia.

É a política das chacinas globais".

 

O velho Vo diante da Guerra

 

HOMENAGEM AOS POVOS CIGANOS

"A guerra é uma disfunção social ou melhor: é o terrorismo institucionalizado, na sua manifestação mais abjeta.

Dizer que a guerra, como dizem nos livros, é uma extensão da diplomacia é uma esperteza torpe e uma estupidez".

T. do AMANHECER . RJ . 1994

 

E prossegue

 

"O entendimento, na relação humana, não se esgota nos limites de algumas pessoas que eventualmente respondem pelo poder temporal de povos, e sim o que pensam todos os seres humanos e se isso não pode ser avaliado, que não façam guerras.

Intolerância e preconceito, não!

Não há razão que justifique o patrocínio da matança de seres humanos.

Onde estão os que condenaram o nazismo?

E a Declaração Universal dos Direitos Humanos, para que foi escrita?

A Organização das Nações Unidas, contemplando o terror, perde o seu sentido humano, perde a razão.

Onde estão as ONGs, que gritam em defesa dos animais ou pelo meio ambiente e se calam diante da tragédia humana?

A degradação dos grupos sociais discordantes, promovida pela insensatez ou intolerância política, é o produto final da mente materialista. Ainda têm o cinismo de divulgarem a barbárie pela televisão".

 

 

O velho Vo cita a Décima-Segunda Conclusão Grave desse estudo

 

 

A GUERRA É A FALÊNCIA DA IDÉIA.

IDÉIA É A OBRA-PRIMA DA ARTE DO HOMEM

 

 

AVANTE