O Velho Vo diante da Escola da Vida

 

"A Escola da Vida, é a fonte do saber da Universidade do Mundo.

A Escola da Vida não foi construída pelo homem. Está ativa desde o princípio dos tempos e ensina desde a Creação, quando DEUS concedeu a Vida. Seu primeiro aluno foi Adão. A Escola da vida não é pública, nem particular, é uma escola aberta, geral, onde todos, de todas as raças, ricos ou pobres, aprendem. A matrícula é garantida para todos, tenham ou não a proteção da família. A Escola da Vida começa no ventre da mãe e não possui professor como na escola convencional. Sua pedagogia não tem preconceitos. Condena a hipocrisia, mantém o pressuposto da igualdade, assegura a individualidade, a liberdade e o livre arbítrio. Sua metodologia vem da dinâmica do viver e do conviver. A Escola da Vida contempla todos os seres e grava na memória o passo a passo da trajetória de cada ser humano durante o viver e assinala os pontos sensíveis do caminho, das armadilhas às ciladas. Devido à informalidade e diante do valor que tem para o viver e a convivência entre os seres humanos, deve ser percebida e compreendida pelo próprio homem.

A Escola da Vida abre o caminho para o homem e descortina o novo horizonte: o horizonte do Saber...

 

O Velho Vo continua ...

 

...e fornece as ferramentas para o desempenho das pessoas na continuada busca da sabedoria.

Assim, a Escola da Vida vai, gradualmente, estimulando a individualidade, que provoca o desenvolvimento da autonomia do homem".

 

... e esclarece

 

"É prático reconhecer.

Imagina uma luta em que, de um lado esteja você, dotado do livre arbítrio e da razão e do outro, o mundo exterior, com tudo que o afeta. Nesse ponto cabe uma referência: os mais sábios atestam que o homem, no princípio dos tempos, tinha muito medo, o que é razoável entender. Ora, foi exatamente essa sensação de medo a componente indispensável à racionalidade da conduta humana.

Do medo do desconhecido ao temor consciente a DEUS deriva o respeito e você vive experiências sucessivas que fortalecem o seu espírito e o conduzem à vitória. Daí advêm os costumes.

O choque freqüente dessa disputa com o meio em que vive provoca a consciência do juízo e o prepara para apreciar, julgar e vencer. O juízo, portanto, é o resultado dessa conduta. Quando alguém diz, fulano tem juízo ou beltrano perdeu o juízo, significa o sucesso ou o insucesso das pessoas, diante das vicissitudes da vida.

Esse sentido positivo que guia o comportamento representa o fruto do exercício da liberdade do homem, na busca dos fundamentos da vida humana e dos postulados que regem o viver e o conviver".

 

O Velho Vo justifica esse impulso do homem

 

"Como disse, esse é um jogo que o homem ou a mulher pode vencer ou perder. O resultado depende exclusivamente de cada um. Os fundamentos da arte do viver da vida humana, que permanecem obscuros, predispõem o espírito do homem para a luta.

A Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade são propósitos escritos na história e continuam como lema para alimentar a alma. A alma guerreira, tendo a razão como arma, conduzirá sempre o homem ao lugar dos vencedores.

 

O FULGOR DA VIDA

Na verdade, quando você consegue utilizar a razão, com a perícia que o espadachim demonstra no manejo da sua espada, as coisas, os fatos e os livros, e os meios de comunicação usados para enganar, passam a ser meras peças inúteis de um enigma. O filtro da razão, no habitual exercício do pensamento, será capaz de depurar, aproveitar o que presta e jogar no lixo o que não presta.

Isto resume o Saber do homem, que o dispõe e conduz para derrotar os predadores da mente.

T. da SERPENTE . RJ . 1993

 

Atingido esse estágio do desenvolvimento mental, você terá achado o rumo para a liberdade, o caminho que deve trilhar para resgatar a sua verdadeira dimensão e as condições para construir a sociedade humana solidária e fraterna, com justiça e, em decorrência, ter a paz".

 

 

O Velho Vo prediz a Sexta Conclusão Grave desse estudo

 

NO MUNDO INTELIGENTE

A VIOLÊNCIA

SERÁ MERA CONTRADIÇÃO DO PASSADO

 

 

AVANTE