O Velho Vo diante dos Pressupostos do Saber



O Velho Vo distingue o gênio da arte no percurso da experiência, da técnica e da ciência.

"A linguagem, essa extraordinária atividade humana, inegável fruto da arte e desenvolvida pela aptidão intelectual do homem, com os originais e incipientes ensaios de comunicação, os desenhos, os glifos ou pictogramas gravados em pedras e os hieroglifos, deu o sinal explícito do poder de DEUS, como indutor, para mostrar ao homem o quanto ele, homem, seria capaz de realizar, pelo tempo adiante.

No decorrer desse tempo, a linguagem tornou-se o eixo de todo processo essencial ao ordenamento humano, materializando-se através da multiplicidade de manifestações, para expressar idéias, sentimentos e modos de comportamento, tudo necessário para o viver e o conviver, embasando toda cultura humana.

 

Com os meios auxiliares que a natureza colocava ao seu alcance e interagindo com esta, e pela experiência bem sucedida, pouco a pouco o ser humano foi adquirindo e aprimorando o conhecimento técnico necessário ao seu crescimento e dos seus contemporâneos.

A cada sucesso um novo desafio, a cada desafio uma nova conquista. Assim passam os dias, os meses e os anos e hoje, o homem e a mulher, com o uso da experiência, o domínio da técnica e o conhecimento da ciência, permanecem prontos para atingirem o seu pleno progresso.


balão livre! T. Só Amigos . RJ . 26.5.2001

 

Antes, a cada passo da evolução da ordem humana, constataram-se outras marcas da presença de DEUS, nesse processo, como um pai zeloso a guiar o seu filho, dando-lhe a segurança dos primeiros momentos do viver.

Recordem...

No Ato da Creação, Gênesis, DEUS deu início à singular vida humana, num mundo também creado por Ele, e até os dias presentes, continua passando suas mensagens aos homens, clareando-lhes o caminho.

Naquele tempo, Adão recebeu de DEUS o livre arbítrio, para que explorasse este caminho. O livre arbítrio ou livre escolha, hoje negado pelo determinismo, com o argumento extraído do materialismo, que pretende impor para o viver uma conduta subordinada aos elementos físicos exteriores.

Mas, aquele primeiro ser e sua companheira mulher, Eva, diante da vida e no universo da natureza, deveriam ter uma conduta natural, livre, voluntária, sem opressão, para a conquista da felicidade. Em seguida, do início pecaminoso, Adão e Eva, com os atributos herdados da sua formação humana, foram construindo o seu próprio mundo. Proliferando e produzindo, semearam a família humana, que foi se espalhando pela Terra e pela arte, experiência e técnica, revelando sua identidade com DEUS.

Querem mais referência ?

Pois bem: Thomas Hobbes*, que viveu no século XVII, cita um ensinamento acontecido no princípio dos tempos: "O primeiro autor da linguagem foi o próprio DEUS, e acrescentou: "...que ensinou para Adão a maneira de designar aquelas criaturas que colocava à sua vista, pois as Escrituras nada mais dizem a esse respeito"

Simples fatos, simples descobertas, simples observações, simples conjeturas, simples deduções.

Aos poucos, superando as dificuldades, os homens vão adquirindo a confiança na capacidade de mentalizar e materializar as coisas, para seu proveito e dos demais.

Como acredito, DEUS, com sua onipresença, sempre manteve com o homem uma relação de poder.

Mera coincidência? Não.

A Vida e a Liberdade são dádivas de DEUS"**.

 

* Hobbes(Thomas). Abril Cultural, "Os Pensadores", Primeira Parte, Do Homem, Da Linguagem, página 20.

** Bíblia Sagrada, Evangelho de São João.

 

 

AVANTE